17.3.10

MAJOR STAR CRUSH: JULIANNE MOORE E COLIN FIRTH

Devia estar particularmente emocional quando vi o filme "A single Man" mas a verdade é que comecei a chorar nos créditos iniciais e não parei até ao fim do filme. Mas apesar das lágrimas, se eu só tivesse uma palavra para descrever o primeiro filme de Tom Ford seria sem dúvida, lindo.

Adaptado de um livro de Christopher Isherwood de 1964, o tema central do filme é amor e perda. O filme passa-se num dia na vida de George Falconer (Colin Firth), um professor de literatura inglês que vive em LA e perdeu, há pouco tempo, o namorado num desastre de automóvel. Colin Firth está perfeito neste papel, todo ele tristeza e solidão, incapaz de mostrar ao mundo a razão do seu sofrimento. E tudo isto com uma make over de Tom Ford, com fatos e camisas impecáveis. A sua única amiga é Charley, Julianne Moore, que está impossivelmente fantástica. Impossivelmente mesmo - e tem 50 anos.

As cores do filme, a casa modernista de George, o guarda roupa, as jóias de Charlie, todos os detalhes são tão perfeitos que podiam ser um anúncio de um perfume Tom Ford. Lindo de morrer.







3 comments:

Pin Up you've said? said...

Olá.. quando vi o filme também o achei muito muito bom mesmo (por acs não chorei =p) mas de facto não sabia bem o que esperar e saí da sala de cinema completamente surpreendida!!! Óptimos actores, adoro a Julianne Moore e já não a via num papel fantástico há algum tempo...Colin Firth é simplesmente ele! Sr. Ford nunca esperava tamanho talento numa área tão diferente. Uma das coisas que me fascinou neste filme foi sem dúvida a fotografia, excelentes imagens que nos davam a sensação de textura, sem dúvida um daqueles filmes para rever.

Kisses From This Pin Up...

Cat said...

Adoro o Colin Firth como actor e estou desejosa de ver este filme. Definitivamente um dos primeiros da minha lista de "fimes para ver"

joana said...

Gostei de ver o Colin neste registo. Ela linda, linda. O filme é arrebatador, guarda roupa impecável ou não fosse o Sr. Tom Ford a tratar de tudo. No fim ainda vimos a pensar...Bom filme. E ainda há o espanholito...